Visite Oeiras » Turismo » Onde ir » Outros elementos arquitectónicos

Outros elementos arquitectónicos 

 

Pelourinho de Oeiras

Largo do Avião Lusitânia
2780-203 Oeiras


Em 1759 D. José I concede o título de Conde Oeiras a Sebastião José de Carvalho e Melo, e em 1760 o monarca concede a Oeiras novo foral e eleva-a a vila e concelho. Na sequência deste facto foi construído , no terceiro quartel do século XVIII, o Pelourinho. Situado no Largo do avião Lusitânia, junto ao Palácio marquês de Pombal e junto da Câmara Municipal de Oeiras, apresenta um perímetro octogonal e é feito em pedra lioz, medindo cerca de 7,20m de altura, sendo encimado por um espigão em bronze. A base engloba três degraus que representam “simbolicamente” as classes sócias: clero, nobreza e povo.

Pelourinho de Oeiras

Chafariz de Oeiras

Largo do Avião Lusitânia, 2780- 203 Oeiras

O Chafariz da Vila de Oeiras com três bicas foi construído no século XVIII, sendo um projecto de Carlos Mardel. A forma sinuosa do seu espaldar acentua as armas dos Carvalhos e a coroa do Marquês de Pombal.

Chafariz de Oeiras


Chafariz Velho de Paço de Arcos

Avenida Marginal, 2770-210 Paço de Arcos

Exemplar de grandes dimensões, construído no século XVIII, mais propriamente no ano de 1775, conforme nos diz a sua inscrição. Nos anos 50 deste século, foi completamente revestido de azulejos, da Fábrica de Sant’Ana, sob pintura de Rogério Amaral, apresentando motivos alusivos aos Descobrimentos Portugueses. Este chafariz é então, uma obra dos últimos anos do governo de Pombal, sendo neste local que se formava a guarda de honra para a cerimónia de entrada do ministro na Vila de Oeiras.

Chafariz de Paço de Arcos

Chafariz de Carnaxide

Rua 5 de Outubro, 2790-149 Carnaxide

Este chafariz data do século XVIII, possuindo um frontispício que tem esculpido o brasão real e uma inscrição em latim que refere “O Rei D. José o mandou fazer em 1766 incluído nas suas obras de reconstrução após o terramoto”. O Chafariz apresenta o seu alçado principal, integralmente de cantaria, reconhecendo-se centrada, uma bica que serve uma pequena vascã de cantaria ladeada por dois bancos rectangulares ostentando igualmente revestimento azulejar.

Chafariz de Carnaxide


Aqueduto e Mina de Água de Carnaxide

Serra de Carnaxide
Telefone: (+351) 214 404 834
Visitas mediante marcação prévia.


Situado no alto da Serra de Carnaxide, este aqueduto foi mandado construir por D. José. É um aqueduto subterrâneo, cuja construção remonta ao ano de 1765/66 e que conduz a água da nascente, até ao chafariz situado na zona antiga de Carnaxide. São apenas visíveis três clarabóias que assinalam no exterior o curso da água. A Mina de Mãe-de-Água, em cantaria, constitui uma peça de arquitectura do século XVIII. O seu interior é ocupado por bancos em pedra e um tanque-reservatório para as águas que dirigem o chafariz.
A sua construção foi efectuada a pedido da população de Carnaxide efectuado junto do Conde de Oeiras e Marquês de Pombal.
O Aqueduto possui cerca de 1km de comprimento e é constituído por galeria de cantaria, com cerca de 2m de altura e 80cm de largura, pontuada por 3 clarabóias em cantaria, de planta circular, volumetria cilíndrica e cobertura sensivelmente cónica rematada por pináculo. A Mãe de Água, de planta octogonal, apresenta volumetria poligonal.
No interior reconhece-se um banco corrido ao longo da caixa murária, ostentando revestimento azulejar, e ao centro, um tanque de água de reduzida profundidade.

mae de agua


© 2013 Município de Oeiras
Todos os Direitos Reservados
Optimizado para Internet Explorer 7.0
Para Firefox utilizar o Add-on IE Tab
AcessibilidadeAcessibilidade

Brasão de Oeiras Município de Oeiras
Largo Marquês de Pombal
2784-501 Oeiras
Telefone: 21 440 83 00
Fax: 21 440 87 12
geral@cm-oeiras.pt