domingo, 28 de Maio

 
Atividade Municipal » Cultura » Centro de Estudos Arqueológicos

Centro de Estudos Arqueológicos 

 

O que é o Centro de Estudos Arqueológicos do Concelho de Oeiras ?

O Centro de Estudos Arqueológicos do Concelho de Oeiras é um serviço da Câmara Municipal de Oeiras cuja criação foi decidida em sessão de Câmara a 2 de Novembro de 1988, correspondendo, assim, a um dos mais antigos no seu género em funcionamento no âmbito do Poder Autárquico no nosso País.

A sua criação decorreu do reconhecimento da importância crescente que, para as populações do presente, representa o conhecimento das sucessivas comunidades humanas que, desde os mais recuados tempos, ocuparam o espaço geográfico hoje correspondente ao concelho de Oeiras, só possível através da Arqueologia.

A equipa que o integra é constituída por um Coordenador, o Prof. Doutor João Luís Cardoso, Arqueólogo e Catedrático de Arqueologia, dois Técnicos Superiores da área da História/Arqueologia, a Drª. Conceição André e o Dr. Filipe Martins e um desenhador de Arqueologia, o Sr. Bernardo Lam Ferreira, recorrendo, sempre que necessário, a colaborações externas para o desempenho das suas actividades.

Especial destaque merecem os jovens que, integrados em Programas OTL, têm contribuído muito significativamente, tanto nos trabalhos de campo, como nos estudos laboratoriais, desenvolvidos nas instalações do Centro.

Actualmente, o Centro encontra-se instalado na Fábrica da Pólvora de Barcarena, repartindo-se por dois edifícios contíguos. O mais moderno, é um espaço construído de raiz; ali se efectua a gestão corrente do Centro, partilhada com o desenho, a fotografia e o estudo de materiais arqueológicos; no outro edifício desenvolvem-se actividades laboratoriais, desde a preparação das peças arqueológicas, incluindo lavagem, marcação e restauro, até  à respectiva inventariação e arquivo.

No primeiro piso deste edifício, encontra-se instalado um espaço de leitura, aberto a todos os interessados, onde podem ser consultadas obras arqueológicas obtidas por permuta com a revista periódica “Estudos Arqueológicos de Oeiras”, publicada pela Câmara Municipal de Oeiras através do Centro, desde 1991, sem dúvida a publicação autárquica portuguesa no domínio da Arqueologia com maior longevidade e continuidade.

Várias acções têm sido concretizadas, ao longo dos já vinte anos de existência deste Centro, através de importantes iniciativas, das quais se destacam, no que respeita à Investigação do Património Arqueológico, as seguintes:

- a escavação do povoado pré-histórico de Leceia, entre 1983 e 2002, com testemunhos do Neolítico Final e do Calcolítico, constituindo um dos mais prolongados trabalhos arqueológicos realizados em Portugal, seguida da sua recuperação, valorização e fruição, através das visitas guiadas a cargo do Centro; as imponentes estruturas defensivas ali construídas na primeira metade do III milénio antes de Cristo, fazem desta estação arqueológica uma das mais importantes, no seu género, de toda a Península Ibérica; 

- a escavação do povoado pré-histórico do Carrascal, perto de Leceia, entre 2000 e 2005, com testemunhos do Neolítico Antigo e do Neolítico Final. Ali se reconheceram os mais antigos testemunhos das primeiras sociedades produtoras, que ali se estabeleceram nos inícios do V milénio antes de Cristo;

- a escavação da villa romana de Oeiras, actualmente em curso, onde, sob um pavimento de mosaico polícromo, conhecido desde 1903, retirado para restauro no âmbito da recuperação geral do edifício, se encontraram ocupações romanas anteriores bem como os primeiros testemunhos da ocupação pré-histórica, na área actualmente ocupada pelo Centro Histórico de Oeiras. De realçar também a descoberta dos primeiros materiais islâmicos, de época califal, corporizando uma presença que até agora não tinha sido ainda demonstrada em solo oeirense.

- a escavação da villa romana de Leião, que evidenciou uma ocupação dos finais do século I a.C./1r.ª metade do século I d.C., abruptamente interrompida por um incêndio, que determinou o abandono definitivo de pars urbana daquela propriedade agrícola.

Nos últimos seis anos, devido à visibilidade atingida pela actuação do Centro, o número de intervenções arqueológicas de emergência, ou acompanhamentos de obras, decorrentes em geral da ocupação urbana dos terrenos, subiu significativamente.

Tais acções resultam de solicitações por parte de outros serviços da Autarquia ou do órgão de tutela do Governo, por iniciativa própria, ou ainda em resultado de indicações de munícipes, que muito apraz registar.

Estão neste caso as escavações efectuadas no subsolo da Biblioteca Operária Oeirense, no alto dos Barronhos (Carnaxide), no Casal das Chocas (Porto Salvo), no antigo Forte de Nossa Senhora da Conceição (Algés), bem como diversos acompanhamentos de grandes obras efectuados em muito locais, como a urbanização do Parque de Santa Cruz (Carnaxide), a construção viária na Zona Oeste de Porto Salvo, o acompanhamento da movimentação de terras e de terraplenagens no Parque dos Poetas, o acompanhamento da construção de infraestruturas na Zona Histórica de Paço de Arcos, entre muitas outras acções, que bem revelam a boa inserção do Centro no tecido social do concelho e a procura de uma colaboração institucional, por parte de diversas entidades, que importa ser convenientemente valorizada.

Só através deste tipo de colaborações, o Património Arqueológico se poderá afirmar como um contribuinte para o progresso e bem estar do concelho de Oeiras, tornando-se parceiro desse grande desígnio partilhado por todos.

A divulgação do Património Arqueológico faz-se através de diversas formas. Merece destaque a revista “Estudos Arqueológicos de Oeiras”. *

É através desta revista, criada para dar publico conhecimento das actividades desenvolvidas no Centro, que a visibilidade pública da sua actuação se tem manifestado com mais intensidade. Com dezasseis volumes publicados desde 1991, totalizando cerca de duas mil e duzentas páginas impressas, esta publicação é permutada com cerca de 177 revistas periódicas especializadas, de Portugal, da Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Itália, Marrocos e Mónaco, cabendo a maioria a Espanha, com 91 títulos permutados, o que bem evidencia a sua valia científica.

Nela os interessados podem encontrar informação sobre todos os períodos do passado humano representados no concelho de Oeiras, beneficiando de uma importante colaboração de diversos especialistas. Com efeito, foram publicados artigos que cobrem uma vasta diacronia, desde o Paleolítico Antigo à Época Contemporânea, sem esquecer intervenções em Arqueologia Urbana e Arqueologia Industrial.

Por último, merecem destaque as Acções de extensão educativa e gestão de espaços culturais, que encontram a sua melhor expressão nas dezenas de visitas guiadas ao povoado pré-histórico de Leceia anualmente ali realizadas, desde 1988, sobretudo a pedido de estabelecimentos de diversos graus de ensino do concelho de Oeiras, revelando o hábito já adquirido de solicitarem tal apoio educativo.

As visitas de grupos sócio-profissionais, de instituições diversas e de alunos universitários, incluindo grupos estrangeiros, completam o conjunto dos visitantes que todas as semanas são ali recebidos. Tais visitas completam-se com a da Exposição Monográfica do Povoado pré-histórico de Leceia, na Fábrica da Pólvora, cuja gestão também se encontra atribuída ao Centro.

Ali encontram os visitantes diversas maquetas explicativas do povoado pré-histórico de Leceia, com um sistema de luz e som coordenado por computador (o único instalado em Portugal), para além de uma selecção dos mais notáveis artefactos arqueológicos recolhidos naquele notável sítio arqueológico.

Inaugurada em 2011, a exposição de Arqueologia do Concelho de Oeiras, destina-se a ilustrar o passado da ocupa-ção humana do atual território oeirense, desde o Paleolítico Inferior Arcaico até ao Século XVIII, com base nos vestí-gios materiais recuperados do solo e provenientes de recolhas e de escavações efetuadas sobre a égide do Centro.

Resumindo:

Muitas outras actividades de carácter técnico-científico e didáctico têm sido desenvolvidas. Destacam-se as seguintes: participação em numerosas reuniões científicas com comunicações relativas à arqueologia oeirense; prestação de informações tanto a outros serviços da Câmara como a entidades externas incluindo Museus, Universidades, etc.;  participação com comunicação em reuniões científicas do âmbito da Arqueologia de Oeiras, tanto em Portugal como no Estrangeiro; apoio a associações culturais ou sócio-profissionais, bibliotecas e sectores educativos de diversas autarquias, além de órgãos de comunicação social local, regional ou nacional, bem como das instituições governamentais da tutela.

O Centro de Estudos Arqueológicos tem pautado a sua intervenção por critérios cívicos, sempre presentes, a começar pelo atendimento de munícipes interessados em conhecer o passado humano do espaço que hoje habitam, incluindo também entre as suas actividades a apresentação de palestras sobre a Arqueologia oeirense em escolas e em diversas associações existentes no concelho de Oeiras.

Crê-se, com efeito, que a melhor forma de despertar a população do concelho de Oeiras para o seu património arqueológico, é estudá-lo e, depois,  torná-lo vivo e actual, demonstrando o seu efectivo interesse  para a formação de cidadãos livres e responsáveis, cada vez mais e melhor informados !

 *A série “Estudos Arqueológicos de Oeiras” pode ser adquirida nos seguintes locais:

Loja de Informação e Divulgação Municipal – Centro Comercial Oeiras Parque
Galeria-Livraria Municipal Verney
Receção da Fábrica da Pólvora de Barcarena
Posto de Turismo de Oeiras – Centro Cultural Palácio do Egipto


© 2013 Município de Oeiras
Todos os Direitos Reservados
Optimizado para Internet Explorer 7.0
Para Firefox utilizar o Add-on IE Tab
AcessibilidadeAcessibilidade

Brasão de Oeiras Município de Oeiras
Largo Marquês de Pombal
2784-501 Oeiras
Telefone: 21 440 83 00
Fax: 21 440 87 12
geral@cm-oeiras.pt